Notas Técnicas

 


A região do Vale do Submédio São Francisco está se desenvolvendo intensamente nos últimos anos. A viticultura, ou seja, a produção de uvas para o consumo in natura, foi introduzida no Semi-Árido brasileiro na década de 50, pela Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco - CODEVASF. Os primeiros trabalhos desenvolvidos incluíam o uso de fertilizantes, técnicas de cultivo e descrição fenológica das plantas. Na década de 70 foi criada a Embrapa Semi-Árido, que contribuiu ativamente para o desenvolvimento de novas tecnologias, permitindo o incremento da produção e da qualidade das uvas produzidas para o mercado consumidor. Atualmente, o Vale é responsável por quase 100% da uva de mesa produzida no Brasil, destinada tanto ao mercado interno quanto à exportação.

A vitivinicultura, ou seja, a produção de uvas destinadas à elaboração de vinhos, é uma atividade mais recente, iniciou-se na região em meados dos anos 80, com a implantação de videiras européias trazidas do Sul do Brasil. Em meados dos anos 90 e no início dos anos 2000, outras Empresas se instalaram na região, o que proporcionou um maior aumento do volume de vinho elaborado. Atualmente, seis Empresas estão instaladas no Vale, produzindo cerca de 7 milhões de litros de vinhos finos (Vitis vinifera L.) por ano em uma área de aproximadamente 700 hectares. O Vale representa atualmente a segunda maior região produtora de vinhos finos do Brasil, representando 15% do mercado nacional, atrás apenas do Rio Grande do Sul, sendo que a atividade vitivinícola emprega direta e indiretamente aproximadamente 30 mil pessoas.

Giuliano Elias Pereira
Engº Agrônomo PhD.
Pesquisador - Viticultura e Enologia

 
  Download do Arquivo Completo
Notas Técnicas